17 janeiro, 2007

out to sea

[era sentir outra vez
a sensação nauseante
de âmago poluído]
procurei a origem da inquietação que me assolava há um tempo e,
se bem que nem sabia dizer quando começara,
o passado indiciava o caminho -
a mancha ainda lá estava, algures entre o que não conseguia controlar e o que desejava mudar, insidiando as imagens que outrora coloriram os meus passos.
(a vida em bd - adquira na loja mais próxima de si)
a podridão vinha de dentro . . .
senti o meu ser desconexo apoderar-se de um calor,
uma chama,
uma explosão
a podridão vinha de dentro . . .
[devoram-se as entranhas]

papéis de rebuçado espalhados pela cama - dormem comigo milhares de sabores.
desumano
- o homem que aprendeu a amar a solidão
(aceno-lhe de longe sabendo que não me vê)

.sonhei com o mar. nele mergulhava com fervor,
desejando fugir das sombras.
afastei-me rapidamente da costa; as ondas puxavam - sugavam - o meu corpo
para o fundo
.
.
.
.
.
[negrume]
um silêncio pacífico , um conforto uterino
que não dura
que não dura
que

[san bebeu daquela água insalubre]

a podridão vinha de dentro . . .


silêncio

«mas o silêncio não é mais que um vazio entre guerras»


3 comentários:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
s. disse...

já está a melhorar :p

Anónimo disse...

[pedindo antecipadamente desculpa pelo despropósito do comentário e agradecendo a divulgação]

Colectânea de contos lésbicos feministas. Envio de trabalhos para anabelarocha2005@gmail.com até 31 de Maio de 2007. Tamanho: entre 3 a 20 páginas A5. Género: não totalmente poético, nem totalmente jornalístico - no entremeio vale tudo:). Um conto por autora. Aceitam-se pseudónimos. A motivação do projecto é alargar o espaço do dizível de sensibilidade lésbica na língua portuguesa, aceitando e desejando contribuições de lésbicas falantes de português em todo o mundo. Mais detalhes em http://zonaqueer.no.sapo.pt/contos_lesbicos.htm